Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O fumo do meu cigarro

O fumo do meu cigarro

31
Jan17

Um dia bem recheado neste blog

Bruno

Fiz das palavras as minhas lágrimas.

Fiz da frieza a protecção para a minha sensibilidade.

Fiz da constante observação ao meu redor o meu modo de sobrevivência.

Não pode ser-se sensível num mundo de guerreiros, bruxaria e guerrilheiros. 

Os guerreiros, nem sempre podem defender-nos; as bruxas tentam sempre aniquilar-nos; os guerrilheiros, de uma forma ou outra, tentam sempre foder-nos.

A doce inocência (ignorância? ) de não ver tão longe, por coisas tão poucas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D