Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O fumo do meu cigarro

O fumo do meu cigarro

06
Mar17

Não os esqueço

Bruno

Não passa um dia em que não sinta falta.

Não há um dia em que não recorde quando éramos Unidos, quando éramos amigos, quando éramos de uma treva cheia de luz - mesmo que as luzes saíssem, muitas das vezes, dos golpes que eu fazia nos pulsos, para sentir alguma coisa.

Não há um dia em que não sinta falta de ser. De estar. Não há um dia em que não recorde as míticas noites atrás da igreja, noites de Verão, em que iniciávamos uma nova vida. 

Não há um dia em que não recorde, jovem gótico, de pele branca, olhos e lábios pintados de preto, pisando o mundo, meu trono, meu limite no vasto céu nocturno. Não há um dia em que não sinta que me fugiu tudo - tudo o que amei, todas as ambições, todos os sonhos, todas as fantasias.

E dou comigo, de caras com um sentimento de nostalgia, em frente a Tumblrs de estilos alternativos, de imagens góticas, de juventudes com muito do que houve na minha, retratadas em diversas situações, imagens com frases curtas, que podem resumir todos os sentimentos.

E dou de comigo, a sentir falta das roupas pretas, das maquilhagens pretas, de todo um mundo louco - o mais próximo que me encontro disso, são alguns adereços, as roupas sempre negras (ou quase sempre), deixando de lado as roupas coloridas que juntei nos últimos anos.

E dou comigo a querer ser quem era. Dou comigo a ambicionar algo, que nunca chegou a deixar-me. Apesar de todas as perdidas ambições. 

Não passa um só dia em que esqueça todo aquilo. Não passa um só dia em que os esqueça.

 

http://angelalucard.tumblr.com

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D